Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

TEC4B encerra o ano com evento online sobre Living Labs fomentados pela SICT

Live aconteceu na última segunda-feira, 28, e foi transmitida pelo Facebook da SICT

Publicação:

Print de reunião online
TEC4B Living Labs Talks aconteceu de forma virtual no dia 28 de novembro - Foto: Divulgação
Por ADRIANA FIGUEIREDO ASCOM/SICT

O programa TEC4B – Tecnologia para Negócios, da Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (SICT), realizou o evento TEC4B Living Labs Talks na última segunda-feira, 28, para discutir sobre o andamento dos projetos para implementação de living labs aprovados pelo Edital TEC4B 04/2021. A live contou com a participação de representantes das equipes responsáveis pelos living labs gaúchos e integrantes do ecossistema de inovação gaúcho. A gravação está disponível na página do Facebook e no YouTube da SICT.

Abrindo o evento, a secretária adjunta da SICT, Simone Stülp, disse estar contente em dar um retorno para os gaúchos e gaúchas sobre como estão sendo executados os recursos da pasta e, especificamente, do TEC4B. “É um programa com o compromisso de se comunicar efetivamente com a sociedade através dos seus projetos”, comentou. Segundo Simone, a importância do TEC4B está em permitir a experimentação de vivências, por meio de living labs, e na sua transversalidade em relação aos demais programas da SICT.

A diretora do Departamento de Conhecimento para Inovação, Ciência e Tecnologia, Suzana Sperry, afirmou que o evento contribui para que as pessoas conheçam melhor o ecossistema de inovação do RS, assim como as ações da secretaria relacionadas à temática. “Com essa iniciativa, pretendemos atingir toda a sociedade e mostrar que é possível realizar projetos de importância que tragam benefícios a todos – como através das provas de conceito”, explicou Suzana.

Smart LiveLab

Em seguida, foi apresentado o Smart LiveLab, projeto da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (Unijuí), coordenado por Sandro Sawicki. O coordenador compartilhou detalhes sobre a elaboração do projeto, assim como o cronograma de atividades e exemplos práticos do seu uso. Segundo Sawicki, o Smart LiveLab teve início através de uma articulação regional prévia, a fim de testar a validade e adequação da ideia às necessidades da região Noroeste e Missões.

Com implantação na cidade-polo de Santa Rosa, o living lab tem foco em cidades inteligentes e IoT (internet of thingsinternet das coisas) e quer se constituir como um grande campo de experimentação regional, fomentando um ecossistema colaborativo de inovação tecnológica. “A ideia, no final, é mostrar para a sociedade todo esse processo e que é possível monitorar várias partes dentro de um escopo de cidades inteligentes. Assim, com um protótipo funcional, as empresas podem ver o uso de tecnologias de vanguarda”, compartilhou Sandro.

Como exemplo das possibilidades de uso do laboratório vivo, Sawicki explicou sobre um projeto para medição do nível dos riachos da região através de sensores. A ideia é que o mecanismo envie informações para as autoridades responsáveis, alertando sobre possíveis enchentes. O outro projeto utilizado como exemplo deve fornecer a estrutura necessária para medição de umidade no solo, possibilitando que o agricultor controle a irrigação da sua terra à distância.

Fazem parte do projeto, também, as empresas parceiras Nuvoni e iC1 Soluções Computacionais, além da Prefeitura Municipal de Santa Rosa. Representando a Unijuí e o Smart LiveLab, estiveram presentes, além do coordenador Sawicki, os professores Taciana Enderli e Gerson Batisti e o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Tecnologia de Santa Rosa, Odaylson Eder.

Living Vales

Na sequência, foi a vez do professor Leonel Pablo Carvalho Tedesco, coordenador do Living Vales, da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), apresentar o seu projeto, que é voltado para o desenvolvimento da região dos Vales através da gestão estratégica de dados. A realização desse living lab é uma parceria da Unisc com a Universidade do Vale do Taquari (Univates) e com as empresas Imply Tecnologia e Interact Solutions.

“Queremos mostrar como podemos oferecer ao cidadão uma melhor experiência através da tecnologia e como potencializar os negócios, de modo que a economia gire em torno da inovação”, explicou o coordenador. Buscando desenvolver soluções tecnológicas para atender ao maior número de pessoas e municípios possíveis e conectar perfis diferentes para criar soluções escaláveis, o laboratório aposta em ações para divulgação dos seus projetos, junto de parcerias estratégicas, como forma de sensibilizar a população regional. “Temos que vender a ideia de que a inovação pode estar, sim, perto da gente, que não é algo exclusivo para as grandes cidades”, comentou Leonel.

O combate à dengue é o foco de um dos projetos em desenvolvimento pelo Living Vales, o qual mapeia focos do mosquito na cidade de Vera Cruz. Ele atua com armadilhas e um aplicativo para compreender a movimentação do Aedes aegypti e deve ser estendido para outras áreas futuramente. Há também um projeto para monitoramento da Bacia do Rio Pardo, que deve fornecer parâmetros meteorológicos e sobre a qualidade e a quantidade da água.

Participaram do evento, além do coordenador Tedesco, o coordenador do TecnoUNISC, Alexandre Dal Molin Wissmann, e o professor Kurt Molz, também da Unisc, e representantes da Univates, Mouriac Halen Diemer e Evandro Franzen, da Labilá, Ana Letícia Zappe, da Imply Tecnologia, Fabiano Horn, e da Interact Solution, Lucas Bellin.

Living Lab POA

Além dos living labs fomentados pelo programa, através da SICT, foi apresentado o Living Lab POA, que representa a estratégia de inovação da capital gaúcha. O momento foi conduzido pela representante do Gabinete de Inovação da Prefeitura Municipal de POA, Sabrina Xavier.  

A participação do projeto no evento visa a solidificar uma estrutura de integração entre os living labs gaúchos, incentivando a cooperação e a troca de experiências entre os ecossistemas regionais no que tange a estratégias de construção de ambientes reais de testagem, sandboxes regulatórios e Provas de Conceito (POCProof of Concept).

Agradecimentos

Ao final das apresentações, o coordenador do TEC4B e gestor do projeto da Unijuí, Rafael Paglioli, parabenizou os coordenadores dos projetos pelo brilhante trabalho apresentado. “Foi uma longa jornada. Eu sou um entusiasta do programa e da implementação de living labs e enxergo grande importância deste programa para o estado e, quiçá, para o Brasil”, afirmouPaglioli lembrou, também, do Guia de Implementação de Living Labs, lançado pelo programa em dezembro de 2021, que serviu como referência para o desenvolvimento dos living labs em questão. “É trabalhando em conjunto que vamos conseguir ir mais longe e colher os frutos”, concluiu.

Fizeram parte do TEC4B Living Labs Talks, ainda, o ex-coordenador do TEC4B e integrante da equipe do programa, Jonathan Vaz Martins Silva, Nadia Moreira May Ibias, gestora do projeto da Unisc, além de Júlio Cesar Trois Endres, integrante da equipe do DECICT. 

Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia